Marcilio Soares

Para Marcílio Soares a arte “em todos os seus sentidos” ...

É a nobreza da vida,
A expressão viva da alma,
É o silêncio do espírito;
A arte é capaz de elevar a mente
Do criador ou expectador
Ao mais alto grau de emoção
Arte é vida,
Vida é amor,
E amor é divino.

Consagrado Artista Sacro Religioso da Atualidade

Nascido na cidade de São Miguel do Iguaçu - Paraná, aos vinte e nove dias do mês de novembro do ano de um mil novecentos e sessenta e cinco. Trazendo na bagagem os dons e méritos de uma família habilidosa o que simplificou a influencia do artista em sua caminhada.

Formado em Artes, conta com mais de cento e trinta cursos de aperfeiçoamento no Brasil e Exterior o renomado artista apresenta uma trajetória de crescimentos impar, pois seu talento é aliado a persistência de sempre apresentar o inusitado levando aplausos por onde passa. Suas obras possuem um mágico acorde de linhas e cores, cada detalhe descrito tem um elemento complementar de vitalidade, emoção e os movimentos são leves, no entanto elaborados com sabedoria e experiência de anos de dedicação.

Arte Sacra

O estimulo para iniciar os estudos na Arte Sacra “Religiosa” aconteceram ainda no seminário quando cursava teologia.

Em 1990 pintara a primeira Via-Sacra para a Paróquia de Santa Helena no Estado do Paraná, após concluí-la, percebeu que suas obras não poderiam ser mais o que eram. A sua execução produziu uma profunda modificação e uma relação sentimental e intelectual irreversível entre o artista e sua arte. A responsabilidade de representar o Divino.

Iniciou sua fase de pinturas em murais com temas religiosos. para Igrejas, na cidade de Nova Andradina Mato Grosso do Sul, no ano de 1999 “pintando o Púlpito da igreja Adventista”. Em seguida foi convidado para realizar a pintura do Altar-mor das Capelas São Vicente, São José e Santa Terezinha, Que rendeu ao artista Grande Medalha de Ouro no vigésimo segundo salão de Arte Sacra do Rio de Janeiro, em seguida pintou o altar da Paróquia Imaculado Coração de Maria em Nova Andradina.

Em 2003 retornou à Santa Terezinha de Itaipu – Paraná, para um de seus maiores desafios. Reproduzir no Altar da Paróquia Santa Terezinha a Ressurreição de Jesus, medindo dezessete metros de altura por vinte de largura.

Apo elaboradas pesquisas definiu se o projeto: Um grande céu com a linha do horizonte baixa de longe se avista a cidade de Jerusalém, o rio Jordão ,a plantação de trigo e um caminho que vem da cidade até o calvário no segundo plano, que fundisse com a paisagem e o sepulcro no primeiro plano , no centro do céu JESUS a figura principal medindo aproximadamente quatro metros de altura, rodeado de anjos que anunciam a Ressurreição.

Fazer do tema uma alegre síntese visual entre a beleza e a criação instintiva do artista era fácil, o que dificultou foi uma grande queimadura em todo o corpo causada por um medicamento a base de sulfa, mesmo assim com as mãos e os pés enfaixados, os pinceis eram fixados com fita crepe em sua mão até concluir a obra. Com a promessa de enquanto viver Evangelizar Através da Arte.

Cada pincelada era uma alegre exaltação da vida, da luz, da cor, um prazer do intelecto e dos sentidos. A harmonia da natureza desta majestosa obra recria e filtra liricamente as imagens do real.

Tombada como Patrimônio Histórico hoje a Paróquia de Santa Terezinha, faz parte da rota internacional do turismo.